domingo, 3 de outubro de 2010

O sorriso e o choro no Picadero

Ao vermos o circo perto de casa, eu e minha filha, vínhamos a tempos planejando nossa ida para rirmos dos palhaços e nos encantar das acrobacias no trapézio entre as demais coisas fascinantes do circo.
Já ao ver o circo com suas inúmeras lâmpadas coloridas, Lela começou a bater palminhas e a apontar o circo... - Vamos, mamãe, vamoooosss! Tá aberto!
Não sabíamos o horário dos shows, mas chegamos exatamente meia hora antes do espetáculo e portanto já pudemos comprar os ingressos e ficar na fila para entrarmos...
Na nossa frente havia uma senhora com seu filho e seus dois netinhos. Por termos que esperar de pé, todas as crianças estavam impacientes e irritadiças com o vento e a fina garoa que embora não nos atingia, tornava o vento mais gélido.
A senhora ofereceu uma balinha para a Rafaela que logo aceitou  percebendo na neta, uma possível amiguinha  para brincar enquanto esperava.  Foi então, ao agradecer a bala, que comecei a reparar naquela familia... O filho mais velho com uns 7 anos se afastou, o pai o seguiu com a filha caçula atrás.... E disse a cada um dos dois que iria se revezar pegando no colo cada um um pouquinho para não haver brigas. Chamou minha atenção ao ve-lo segurar o menininho como a um bebê, o que me fez reparar também nos olhos do menino magoados (com algo além da espera na fila), o da filha, tristes e o do pai que emanava uma tristeza profunda, mas indecifrável. Pelos olhares, percebi que algo acontecia naquela familia.
A avó com olhar bondoso e alegre me disse: Bem que poderiam liberar logo a entrada para o atrium interno, ainda mais com as crianças nesse vento...Absorta em meus pensamentos, concordei mas não entendi sua ultima fala.
Entramos e nossas familias sentaram na mesma fileira em assentos vizinhos. 
Sai para comprar pipoca, refrigerante e algodão doce. Percebi então, que ao meu lado caminhava a avó (que nao deve ter mais do que 62 anos) e estava sorrindo (desta vez um um sorriso triste) e foi logo me dizendo: eu vou ao toillete, porque estou ainda com dreno, mas não tinha como deixar de vir e ver a alegria dos meus netos, e também ajudar meu filho...
Foi então que vi uma sacola em sua mão...e ela começou a me contar que tinha acabado de fazer uma retirada de um nódulo no seio e ainda estava com o dreno.
Essa senhora, olhou em meus olhos e sem nunca ter me visto antes, contou o sofrimento da sua familia em relação ao descaso da mãe das crianças, uma milionária excêntrica, que ja na gravidez da menininha queria se separar, não o fazendo somente porque o seu pai ameaçou a retirada de um dos postos de gasolina de seu controle e portanto do dinheiro....
O marido ao saber que hoje ela iria a um jantar a qual toda a familia foi convidada, mas que nao permitiu que os filhos ou o marido fossem, não quis que os filhos vissem a mãe se aprontando para sair de casa sem os filhos mais uma vez....
Vi e senti a dor nos olhos da jovem senhora que começou a chorar.... e me contar detalhes da vida do filho e dos netos que logo encheram meu coração de misericórdia pela aquela familia.
E pela Graça de Deus, como uma mera chave de fenda, disse muitas coisas para essa senhora, sobre o poder de Deus, e de Como Ele age em nossas vidas sempre. E que Deus tinha grandes coisas preparadas para o filho dela. Que ela aquietasse seu coração, pois o Senhor de todas as coisas sabe.........
Após minha fala, ela parou de chorar e sorrindo ainda com tristeza, me disse: Eu tambem sou evangélica. (só que não havia dito que era evangelica...) Muito obrigada pelo o que me disse.... 
Ore por nós. E disse que oraria...
O circo começou, dei muitas risadas com os palhaços e ficamos encantadas com o todos os numeros do show...No segundo intervalo do espetáculo, seu filho se levantou e aproveitando a deixa, me disse novamente: ORE PELO MEU FILHO... Perguntei o primeiro nome dele e o dela.... E assenti: orarei....
Antes do término do espetáculo, sairam rapidamente, mas ela virou e me disse sibilando... Ore por nós.... e obrigada!
Esse espetáculo de circo ficará gravado para sempre em minha memória...
Nao pelo show em si, mas pela historia dessa familia contada por uma jovem avó de beleza externa incomum e de beleza interior imensurável, a ponto de reconhecer em mim uma ferramenta da atuação do Espirito de Deus em minha vida.
Nesse exato momento penso na Palavra de Deus que li ontem pela manhã, quando Paulo em II Corinthios, pede a Deus por 3x que afaste o espinho da sua carne e Cristo lhe responde: "A minha Graça lhe basta, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza"....  e Paulo reflete essa fala dizendo: " Pois quando estou fraco, então é que estou forte! "
Fui ao circo por motivos similares... 
Para esquecer a tristeza, rir um pouco e proporcionar alegria a minha filha. Essa senhora que nem imagina quem eu sou, ou o que faço, ou por quais problemas estou passando, que "surpreendentemente" são similares em vários aspectos ao do filho, viu em mim, uma fonte de "força de oração", me "reconhecendo", dentre vários e confiando em mim a historia da sua familia, onde creio que pude naquele momento ser instrumento da diferença como em orações também.
Tomo hoje as palavras de Cristo para a minha vida: "A minha Graça lhe basta" e a do apostolo Paulo:" quando estou fraco, então é que sou forte". 
Esse post, dedico a grande "L", ao seu filho " G.C" , aos seus netos e a sua nora.
Que o riso do picadero seja presente sempre na vida dessa familia, não somente hoje, mas em todos os dias. E faço dessas palavras, as minhas próprias....
Shalom a todos nós com o poema abaixo para reflexão:


CHORA PALHAÇO






Chora palhaço da sua tristeza quando o mundo e as coisas que te cercam dizem NÃO.
Chora palhaço da troça da sua imagem, das suas pinturas e caricaturas.
Chora palhaço por trazer alegria e sorriso ao sorriso e alegria das pessoas, e ter como pagamento a satisfação e a felicidade, ou simplesmente um sorriso.
Chora palhaço da situação que te cerca, das noites não dormidas, pela esperança de um agrado, do sonho de uma alegria continuada e sincera.
Chora palhaço, homem do peito de aço, que da alegria faz o compasso, mesmo que tua alma esteja no descompasso de uma grande tristeza.
Chora palhaço, do seu coração que não trai, não engana, que espera um doce sorriso, uma mão que afague seu semblante, sua cabeça, suas costas e pernas cansadas de tanto se apresentar no picadeiro da fantasia.
Chora palhaço que se enternece quando recebe um sorriso e um muito obrigado, mesmo de alguém que nunca viu.
Chora palhaço das suas mascaras que sorriem quando queriam chorar, que enternecem quando queriam esmorecer, que agitam quando queriam descansar.
Chora palhaço do seu próprio sorriso triste…Chora até descobrir a verdade de tua alma…
Texto: Cláudio Rizzo

Um comentário:

  1. Tens um dom minha cara!! Quero ver mais posts no FB!! Mil beijos Déinha

    ResponderExcluir